quinta-feira, 19 de abril de 2007

A coleta de células-tronco...

Um dia após colocar meu cateter de Hickman (deve ter sido o cara que inventou essa maravilha...) fui encaminhado ao ambulátorio do CEMO, também chamado de hospital dia... é um setor no qual os pacientes pós e pré-transplantados, tomam remédios após a liberação da internação, fazem exames, curativos e pequenos procedimentos cirurgicos... hoje em dia é dividida em 2 alas: infantil (sim, infantil... a grande maioria dos pacientes) e adulta.


Naquele momento tomei dimensão da grande família que era o CEMO: A partir do momento que você entrasse naquele grupo, ele faria parte de você para o resto da vida...


A primeira pessoa que me recebeu foi a enfermeira Solange... super atenciosa e simpática como todas... ela me apresentou o ambulatório e as pessoas que nela trabalhavam... e por incrível que pareça me senti muito a vontade (vazia muito tempo que não sentia isso num hospital...).


Conheci alguns pacientes e senti o clima de solidariedade e força que se passava naquele lugar... quase não se falava em doença... de cara conheci pessoas de 10 lugares diferentes do país... (inclusive do nordeste...).


A Solange me explicou que existiam duas formas de coletar minha médula:


- Atravéz da aspiração da mesma, num procedimento cirurgico no qual teria que tomar anestesia geral (nenhuma novidade...) no qual o médico usaria uma cânula (parecido com lipoaspiração... só que em vez de gordura, se puxa medula) para sugar a médula dos ossos (é onde se localiza a médula no corpo) da bacia (tem um formato chato e por isso concentram mais medula), num processo que durava de 30 a 50 minutos...


- Ou atravéz de aférese para coleta de células tronco, no qual eu passaria por uma máquina que coletaria essas células do meu sangue.


Pelo fato de ter me operado a pouco tempo e de ter coletar muita médula, se decidiu pela segunda opção... mas para isso era primeiro necessário fazer um tratamento de "estimulação da produção de células-tronco", com um remedinho mágico chamado Filgastrim.


Filgastrim é um fator estimulador de crescimento de colônias de granulócitos humanos ( G-CSF ), pruduzido por técnica de DNA recombinante e equivale a recombinant methionyl human granulocyte colony-stimulating factor (r-metHuG-CSF). Quimicamente é 175 amino acid protein produzido a partir da Escherichia coli (E. coli) bacteria na qual é inserido o mencionado fator (http://www.amcc.com.br/final/perspectivas.asp?CodigoNews=43).



Tentando traduzir, esse remedinho estimula a produção de leucocitos segmentados, celulas brancas jovens que ainda não se especializaram, e que servem como células-tronco no tecido hematopoético.

O tratamento durou 7 dias e tinha que tomar 4 ampolas por dia... depois que que fiquei o preço de cada âmpolinha daquelas foi quando intendi porque um transplante de medula custava tão caro: com menos de 20 ml cada um custava quase 500,00 R$ !!! (é lógico que o INCA forneceu toda medicação).

Os únicos incomodos apareceriam depois de alguns dias... como estava havendo uma super-estimulação por conta das doses de Filgastrim que estava tomando comecei a sentir dores estranhas na regiao da bacia e coluna cervical... como se diz lá em Pernambuco uns "latejos", nessas áreas... Mas que foram resolvidos com 2 comprimidos de Dorflex...
Bem, graças a Deus o tratamento surtiu efeito... as taxas de leucocitos normais variam de 4.000 a 10.000 por mm3 de sangue... a minha taxa estava a mais de 80.000!!! podiamos começar a coleta...

Fui encaminhado ao 2 andar do HC1 do INCA... Cheguei ao setor de coleta e doação de sangue e e chegando lá a assistente social...
É incrivel como apenas situações de necessidades nos faz despertar para atitudes simples que fazem a diferença... sempre que pude doava sangue em Recife, mas a partir daquele momento é que eu vi o quanto aquilo era importante... principalmente por tal necessidade está tão proxima: dessas vez não era um desconhecido ou anonimo que precisaria daquilo... seria eu...!!!
Ela me informou que existia grande dificuldade de reposição os estoques de componentes de sangue, principalmente o de plaquetas (o que provavelmente iria tomar...), por falta de doadores... por isso eles sempre pediam que encontrasse doadores para pelo menos repor aquilo que provavelmente iria consumir... mas ela me deu um desconto pelo fato de não ser do Rio de Janeiro...




Mas depois acabei descobrindo um jeito de conseguir doadores... coincidentemente, perto do INCA fica o quartel dos bombeiros aqui do Rio... fui lá e falei do problema e alguns bombeiros gentilmente se solidarizaram para doar sangue e plaquetas em meu nome... naquele dia dormi muito feliz: ainda existiam pessoas gentis e que se preocupavam com outras no mundo...


Bem... voltando a as coletas de células-tronco... após a conversa com a assistente social foi encaminhado a sala de coleta e a primeira pessoa que me recebeu foi uma médica extremamente simpática de quem fiquei amigo chamada Dr. Marília... Ela me falou direitinho o que ia acontecer... pediu para relaxar e deitar numa poltrona ao lado de uma máquina como essa abaixo:





Bem... o processo de coleta é algo muito parecido com aqueles que precisam fazer diálise, eles me conectaram a máquina através do cateter (bem esquisito... mas não encomodou nada...), e meu sangue começou a circular na máquina e realizar um processo que separava os componentes do sangue (plasma para um lado, plaquetas para outro , células tronco para outro, etc...), tudo era guardado numa bolsinha de sangue e a máquina definia o que iria guardas (se era plaquetas ou leocócitos...) atravéz de um cartãozinho que continha um software embutido que controlava o processo.... eu, como bom interessado em computação, achei o máximo no processo... e pensei mais uma vez como a humanidade dependia da tecnologia para o conforto e progresso...!!! :D




Ao final de 24 ciclos (uma taxa limite de aceitavel para circulação sanguínea fora do corpo), no qual o sangue já tinha dado 4 voltas completas por dentro da máquina o resultado era uma bolsinha parecida com essa aí de cima, só que com uma quantidade 4 vezes menos...

Confesso que fiquei meio decepcionado, mas a Enf. Regina, responsável pelo processo disse que as vezes aquilo era o suficiente para um transplante... e que a quantidade era irrelavante... não sabia eu que aquela bolsinha era o que seria injetado em meu corpo posteriormente... era a responsável pela re-efusão da medula após a tal super-quimioterapia...!

Precisei fazer mais 2 coletas para completar a minha cota... Eles sabiam a quantidade que contavam a quantidade coletada... No mais fiquei muito amigo do pessoal da coleta de sangue... levei até Bolo de Rolo (uma iguaria Pernambucana) posteriormente... Eles adoraram...!!!


8 comentários:

cybelle disse...

Eeeeeeeeee vou cometar aqui só pq é o seu blog...Posso falar do que me lembro nesta faze que um dia eu tb passei? Entao...fiz a mesma coisa wue vc passei pela Aferese(acho que é assim que escreve,nao vou voltar la no texto so pra ver,o que importa é a counicação e sei que vc entendeu rs....)Nossa uma coisa wue vc nao comentou e que eu me lembro é que passei 4h pra coletar e durante essas 4 horas nao podia levantar e nossa...morri d vontade d fazer xixi e colocaram ate aquela "aparadeira",mas nao teve jeito..nunca consegui usar aquilo...DAi o chato foi isso,pra mim, e depois do procedimento me senti um pouco cansada...normal ne...
Ahahahhaha....tive a mesma decepção na hora q vi a quantidade q havia na bolsinha la...mas depois me explicaram tb...
Tive que coletar duas vezes tb..na primeira consegui mais da metade, no outro dia o resto que faltava...
E que engraçado eu tive que fazer uns dois ciclos d quimioo antes,pra minhas defezas baixarem e eu tomar os granuloquins, que o mesmo que o fri lá lá la(nao lembro o nome d novo rs)...Entao é isso,menos uma faze hein!
Vamo que vamo...e pensamento posito que eu decobri que é provado cientificamente que o pensamento positivo é mais forte que o negativo....
Ei assiste ao filme "O Segredo"..muito bom e acho que nesse momento seria otimo tb....
Nossa passou de um comentario né..mas deu...
cheiros

sobral disse...

fala marquinhos,

muito bom esse teu blog para compartilhar sua história com outras pessoas que tb estiverem passando por essas dificuldades e pro seus amigos acompanharem seu tratamento!

já adicionei no meu bookmark e vou ficar acompanhando e torcendo por sua recuperação, força!!!

abraços,
leo

Gustavo Danzi disse...

fala marquinhos,

muito boa iniciativa. estaremos de olho em vc... :)

pode contar conosco daqui de recife para o que precisar.

abraço,
danzi

Adeline disse...

Marquinhos,

muito legal você contar sua historia aqui. Pode ajudar outras pessoas q estejam passando por uma situação parecida. No mais, estamos todos na torcida para que você fique bem logo!
Boa sorte!

Paula GF disse...

oi marquinhos, seu blog está ótimo! vc realmente é incrível, uma luz nas nossas vidas, um relato de vitórias! dá para sentir nas suas palavras que vc está feliz e confiante de que tudo vai dar certo! eu tb estou!!! feliz por ter conhecido e convivido com vc e sua alegria contagiante ;)
estarei de olho em vc ;)
boa sorte! bjssssss

Mônica disse...

Marquinhos,

Também estou acompanhando este teu blog!
Incrível!!!!
Já me sinto tua amiga!
/:o)
Beijinhos

thays e mariane disse...

como estou acompanhando o tratamento que uma amiga começou a fazer, e necessitou de usar o filgastim, encontrei vc aqui com seu relato. Parabéns pela coragem e iniciativa isso ajuda a dar estímulo a quem esta passando por problemas iguais. Deus te abençoe, ilumine seu caminho e oriente seus passos Amém. um abraço. Dora.

Anônimo disse...

Amiable post and this post helped me alot in my college assignement. Thank you as your information.